Febre amarela: o que é, quais seus sintomas e tudo sobre a vacina

Devido a tantos casos de febre amarela no Brasil, muitas dúvidas surgiram em relação a essa doença. Por isso, hoje vamos conhecer mais sobre a febre amareça, como seus sintomas, diagnóstico, tratamento e tudo em relação à vacinação.

O que é febre amarela?

A febre amarela é uma doença infecciosa viral aguda que é transmitida aos seres humanos ou animais através da picada de mosquitos infectados. Embora muitos casos de febre amarela sejam leves e auto-limitantes, a febre amarela também pode ser uma doença potencialmente fatal que causa febre hemorrágica e icterícia (daí o termo “amarela” que devido ao amarelamento da pele e olhos causado pela icterícia).

Esta doença viral ocorre em áreas tropicais da África e da América do Sul, e cada ano há aproximadamente 200 mil casos de febre amarela em todo o mundo, levando a aproximadamente 30 mil mortes. Um aumento no número de casos de febre amarela nas últimas décadas levou a campanhas destinadas a melhorar a conscientização pública e a prevenção de doenças para esta doença infecciosa emergente.

A febre amarela não é contraída pelo contato direto com outras pessoas infectadas. Os seres humanos com febre amarela são infecciosos e podem transmitir o vírus a mosquitos não infectados. Isso pode ocorrer pouco antes do início da febre e por três a cinco dias após o início dos sintomas.

História da febre amarela

febre amarela
Acredita-se que a febre amarela tenha se originado na África e tenha sido trazida para as Américas nos navios durante o tráfico de escravos. Vários surtos significativos de febre amarela ocorreram ao longo da história. O primeiro surto documentado ocorrido na península de Yucatán no século XVII. No final do século 18, um grave surto de febre amarela atingiu a Nova Inglaterra e várias cidades portuárias norte-americanas. A cidade de Filadélfia pode ter perdido cerca de um décimo da sua população durante a epidemia de febre amarela de 1793, fazendo com que muitas figuras notáveis ​​na política americana para fugissem da cidade. O último grande surto de febre amarela na América do Norte ocorreu em Nova Orleans em 1905.

A teoria de que a febre amarela é transmitida por um mosquito foi introduzida pela primeira vez por um médico cubano, Dr. Carlos Finlay, no final do século XIX. Essa descoberta foi fundamental para levar ao controle subsequente da febre amarela em várias regiões. O vírus responsável pela febre amarela foi mais tarde isolado no final da década de 1920. Isso permitiu que Max Theiler desenvolvesse mais tarde a primeira vacina contra a febre amarela na década de 1930. Esta vacina bem sucedida ajudou a controlar e eliminar a febre amarela de vários países da África e da América do Sul em meados do século XX.

Febre amarela no Brasil

O Brasil vive um surto de febre amarela que começou em 2017 quando os casos começaram a aumentar. Desde julho passado, houve 464 casos confirmados da doença e 154 foram a óbito. Por isso, o Ministério da Saúde fez uma campanha para vacinação contra a doença, que foi realizada em vários estados, como São Paulo e Minas Gerais.

Todos os casos confirmados provavelmente foram adquirido em locais geográficos onde há primatas não humanos (macacos da espécie Bugio). Em Minas Gerais, casos são relatados em municípios onde nenhum caso humano foi detectado durante 2016/2017. Em São Paulo, a maior proporção de casos é relatada em Mairiporã, uma área localizada a 15 quilômetros da região norte da Capital. Os casos no Rio de Janeiro são relatados nos municípios de Valença e Teresópolis. O último está localizado a 96 quilômetros da cidade do Rio de Janeiro.

O grande número de casos não vacinados e pessoas que continuam a viver em áreas com ecossistemas favoráveis ​​à transmissão do vírus da febre amarela representam um risco elevado para a mudança no padrão de transmissão atual.

Como é transmitida a febre amarela?

A febre amarela é transmitida aos seres humanos pela picada de mosquitos infectados. Várias espécies de mosquitos Aedes (o mesmo causador da dengue) e Haemagogus servem como vetores e são responsáveis ​​pela transmissão a humanos e macacos, que servem de reservatórios para a doença. Foram identificados dois ciclos de transmissão da febre amarela.

  • Ciclo silvestre: nas florestas tropicais, macacos infectados passam o vírus para os mosquitos que se alimentam de eles. Esses mosquitos infectados, então, mordem os humanos que entram na floresta tropical para atividades ocupacionais ou recreativas.
  • Ciclo urbano: quando os humanos infectados introduzem o vírus em áreas urbanas com grande número de indivíduos não vacinados, os mosquitos infectados (Aedes aegypti) transmitem a doença de humano para humano. Esta forma de transmissão pode levar a grandes epidemias.

Sintomas da febre amarela

febre amarela
O período de tempo de contração da infecção ao desenvolvimento de sintomas (período de incubação) é geralmente entre três a seis dias. Após a infecção pelo vírus da febre amarela, muitos indivíduos não experimentam manifestações sintomas (assintomáticas). Enquanto outras desenvolverão uma doença leve e autolimitada semelhante a uma gripe caracterizada pelos seguintes sintomas e sinais:

Febre amarela sintomas

  • – Febre
  • – Arrepios
  • – Dores musculares generalizadas
  • – Dor nas costas
  • – Dor de cabeça
  • – Mal-estar
  • – Fraqueza
  • – Falta de apetite
  • – Náusea
  • – Vômito

A maioria dos pacientes com esta fase aguda inicial da doença melhora espontaneamente após aproximadamente três a quatro dias. No entanto, aproximadamente 15% dos pacientes podem entrar em uma segunda fase da doença, que normalmente aparece após uma pequena remissão dos sintomas (cerca de 24 horas) da fase inicial da doença. Esta próxima fase tóxica da doença é mais grave, momento em que a febre alta retorna e mais órgãos se envolvem. Além dos sintomas acima, os seguintes sintomas e sinais também podem se desenvolver:

  • – Dor abdominal
  • – Icterícia
  • – Sangramento das gengivas, nariz, olhos e/ou estômago
  • – Sangue nas fezes e no vômito
  • – Hematomas na pele
  • – Falência renal
  • – Confusão
  • – Convulsões
  • – Coma

Vacina febre amarela

A vacinação continua a ser a forma mais eficaz de prevenir a febre amarela. A vacina contra a febre amarela tem sido usada há várias décadas, e é uma vacina segura com apenas eventos adversos sérios, mas raros relatados.

A vacina contra a febre amarela é uma vacina de vírus vivo que proporciona imunidade duradoura após uma única dose. Fornece imunidade contra a febre amarela em 95% dos indivíduos dentro de uma semana após a administração. A vacina está disponível para adultos e crianças com mais de 9 meses de idade.

Devido ao surto de febre amarela no Brasil, as doses da vacina estão sendo fracionadas, ou seja, não está sendo aplicada a dose inteira para que mais pessoas possam ser vacinadas durante períodos de epidemia. A vacinada fraccionada, contém 1/10 da composição da vacina completa e pode proteger por até 8 anos. Durante esse período, não existe risco de contrair a doença.

Vacina febre amarela indicação

febre amarela
Deve-se vacinar contra febre amarela todos que moram em áreas de risco e que irão viajar para algum desses locais. Atualmente, a área que deve ser vacinada abrange grande parte do território brasileiro, sendo que apenas seis estados do Nordeste, estão fora dela.

Esta vacina também faz parte do calendário básico de vacinação da criança e do adulto, em alguns estados do Brasil.

Você também deve tomar a vacina da febre amarela caso viaje para algum lugar onde há casos da doença, como certos países da África. Vários fatores determinam o risco de um indivíduo sofrer febre amarela durante a viagem, incluindo a área de viagem, estação, estado de imunização, duração da exposição, atividades durante a viagem e a taxa local de transmissão do vírus. Esta informação deve ser revista antes de qualquer viagem para áreas endêmicas.

Contraindicação vacina febre amarela

As condições em que a vacina não deve ser administrada, incluem:

  • – Grávidas
  • – Pessoas com um componente de alergia a vacina (alergia à proteína do ovo e alergia à canamicina e eritromicina)
  • – Crianças com menos de 6 meses de idade
  • – Pacientes com AIDS
  • – Portadores de câncer
  • – Transplantados
  • – Pessoas que fazem terapias corticoides, imunossupressoras e imunomoduladoras
  • – Em caso de febre
  • – Mulheres que estejam amamentando bebês com menos de 6 meses de vida
  • – Pessoas com o sistema imunológico debilitado

Reação vacina febre amarela

Há sim um certo risco de reação após a vacina contra febre amarela. A reação mais comum é acompanhada de febre e mal estar por volta do quinto dia após a imunização, mas em casos raros, podem haver complicações que levam à morte. O risco de reação existe, pois a vacina é feita com o próprio vírus atenuado da doença.

Os sintomas de uma reação grave à vacina costumam aparecer antes do décimo dia depois da vacinação. Eles podem provocar uma doença parecida com a febre amarela, chamada Doença Viscerotrópica Aguda. Por sua vez, essa doença pode causar febre, dores musculares, vômito e hemorragias, além de poder comprometer o funcionamento hepático, renal, respiratório e cardíaco. Em casos mais graves, pode levar à morte.

A proporção de uma à reação vacina da febre amarela é de um caso para cada 450 mil vacinados. Mas, segundo a Secretaria Estadual da Saúde, é possível que em um número maior de vacinados, ninguém tenha essa reação.

Vacina febre amarela efeitos colaterais

A vacina contra a febre amarela pode ter efeitos secundários adversos raros, mas graves. O responsável pela aplicação deve ser um profissional de saúde e deve considerar a saúde subjacente do indivíduo, o risco de exposição à febre amarela e as contra-indicações para a administração da vacina antes de recomendá-la.

Alguns dos efeitos colaterais que podem surgir são:

  • – Erupção cutânea
  • – Dor muscular
  • – Convulsão
  • – Dor de cabeça
  • – Febre e mal-estar geral

Vacina febre amarela validade

Quem tomou a dose inteira da vacina contra febre amarela não precisa reforço, uma única dose pode proteger a pessoa pelo resto da vida. No entanto, pessoas que tomaram a vacina recentemente durante a campanha do Ministério da Saúde, receberam a dose fracionada e precisam de um reforço. A dose fracionada tem duração de 8 anos, após, as pessoas podem procurar um posto médico e se informar sobre o reforço da vacinação contra a febre amarela.

Febre amarela diagnóstico

febre amarela
Como os sintomas durante a fase inicial da febre amarela são inespecíficos e semelhantes a uma doença semelhante a uma gripe, o diagnóstico durante esta etapa pode ser difícil. Portanto, o diagnóstico preliminar é muitas vezes feito clinicamente com base nos sinais e sintomas do paciente, localidade onde mora, no histórico de viagens (quando e onde) e nas atividades de viagem relacionadas.

Várias anormalidades de teste de sangue podem estar presentes em indivíduos com febre amarela, particularmente aqueles que passam a desenvolver a segunda fase da doença. As anomalias no exame de sangue podem incluir uma baixa contagem de glóbulos brancos (leucopenia), baixa contagem de plaquetas (trombocitopenia), elevação dos testes de função hepática, tempos de coagulação sanguínea anormalmente prolongados e testes anormais de função eletrolítica e renal. Nenhum desses resultados de testes são específicos da febre amarela e, por si só, permitem que o profissional de saúde faça um diagnóstico. Testes de urina podem demonstrar níveis elevados de proteína urinária e urobilinogênio. Um eletrocardiograma (ECG) pode revelar distúrbios cardíacos ou de distúrbios do ritmo se o envolvimento cardíaco tiver ocorrido.

O diagnóstico laboratorial de febre amarela requer testes especializados. Os exames de sangue podem demonstrar a presença de anticorpos específicos de vírus (IgM e IgG) produzidos em resposta à infecção, embora possa ocorrer reação cruzada com anticorpos de outros flavivírus. Portanto, testes de anticorpos específicos, como um teste de neutralização de redução de placa, podem ser feitos para confirmação.

Febre amarela tratamento

Não há tratamento curativo específico para a febre amarela. O tratamento é favorável e visa aliviar os sintomas da doença, incluindo a dor e a febre. Como mencionado anteriormente, a maioria dos pacientes que desenvolvem sintomas de febre amarela experimentará um curso leve de doença que se resolverá por conta própria.

As medidas de apoio implementadas dependem da gravidade da doença e podem incluir:

  • – Administração de oxigênio
  • – Administração intravenosa de fluidos para desidratação
  • – Medicamentos para aumentar a pressão arterial em casos de colapso circulatório
  • – Transfusão de produtos sanguíneos em casos de hemorragia grave
  • – Antibióticos para infecções bacterianas secundárias
  • – Diálise para insuficiência renal
  • – Intubação endotraqueal (colocação de um tubo respiratório) e ventilação mecânica em casos de insuficiência respiratória

O ácido acetilsalicílico (aspirina) e os anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) devem ser evitados devido ao aumento do risco de hemorragia.

Durante os primeiros dias de doença, indivíduos infectados também devem ser isolados em ambientes fechados e/ou sob rede de mosquitos, a fim de evitar uma maior exposição ao mosquito febre amarela, eliminando o potencial de transmissão adicional da doença.

Quanto dura a febre amarela?

febre amarela
Para os indivíduos com febre amarela que desenvolvem o curso leve da doença, os sintomas geralmente durarão cerca de três a quatro dias e a maioria dos pacientes se recuperará completamente. Para aqueles indivíduos que desenvolvem a fase mais grave da doença e sobrevivem, o curso da doença pode durar várias semanas dependendo da gravidade da doença e de quaisquer complicações associadas.

Prognóstico para pessoas com febre amarela

O prognóstico para indivíduos que desenvolvem febre amarela sem complicações geralmente é excelente. No entanto, para os pacientes que desenvolvem a fase grave da febre amarela, as taxas de letalidade variam de 20% a 50% dependendo da condição subjacente do paciente. Se a morte ocorre, é tipicamente dentro de 10-14 dias após o início da fase tóxica. Os bebês e aqueles com idade superior a 50 anos tendem a ter doenças mais graves e maiores taxas de mortalidade. Naqueles indivíduos que sobrevivem à febre amarela, geralmente não há danos permanentes nos órgãos.

Prevenção da febre amarela

Além da vacina, principal meio de prevenção da doença, outras medidas efetivas de controle de mosquito também são um componente importante para prevenir ou minimizar o risco de febre amarela. Evitar mordidas de mosquitos usando roupas protetoras (mangas compridas e calças longas) e mosquiteiros ao dormir. Além disso, é recomendável a aplicação de repelente de insetos.

Mais informações

A febre amarela é uma doença perigosa e a melhor forma de se prevenir é através da vacinação. Por isso, se você ainda não tomou e mora numa área considerada de risco, procure o posto de saúde mais próximo para se vacinar. E, caso sinta algum dos sintomas dessa doença, procure ajuda médica rapidamente.

Dicas sobre Saude.

%d blogueiros gostam disto: