Estrogênio: o que é, função, falta, excesso e alimentos ricos no hormônio

O estrogênio é um hormônio feminino que tem papel fundamental no corpo e no comportamento da mulher. Ele ajuda a manter o ciclo menstrual regular e prepara o corpo para a gravidez, além de participar de uma série de funções no organismo feminino.

O desequilíbrio desse hormônio pode trazer uma série de efeitos negativos, como ondas de calor, aumento de peso e alterações no humor. Por essa razão, a reposição hormonal é indicada para as mulheres que se encontram na menopausa.

Entenda mais sobre esse importante hormônio a seguir.

O que é estrogênio?

O estrogênio (também chamado de estrógeno) é um hormônio sexual fabricado nos ovários, sendo ele que oferece às mulheres suas características femininas. Esse hormônio começa a ser produzido no primeiro ciclo menstrual e continua até a mulher chegar à menopausa.

Esse hormônio contribui para o crescimento da mulher na puberdade e durante a fase adulta, sendo o responsável por regularizar o ciclo menstrual, pelo desenvolvimento dos seios, além de oferecer às mulheres as formas arredondadas em suas coxas, quadris e manter a textura e brilho na pele.

Durante o ciclo menstrual, ocorre uma mudança na concentração de estrogênio, que alcança o seu nível máximo no organismo. Já no período de menstruação, os níveis de concentração atingem o seu ponto mais baixo.

Estrogenio excesso

Função do estrogênio

Entre as funções do estrogênio está inclusa a de agir na distribuição da gordura pelo corpo, aumentando a concentração nos quadris e reduzindo no abdômen. Também produz os pelos pubianos e nas axilas durante a puberdade.

Outra importante função a ele associada está a de preparar o corpo da mulher durante a gestação. Quando a mulher engravida, há o aumento na produção desse hormônio, o que acontece para que o miométrio uterino (parede mais espessa do útero) inicie o seu processo de crescimento e comece a se preparar para o momento do parto.

O hormônio faz multiplicar as células em algumas partes do organismo feminino, como o útero, que pode ter o seu tamanho aumentado em três vezes. Ele faz com que os quadris passam se alargar no momento do parto e causa o aumento da vagina.

O estrogênio também ajuda a manter o útero melhor acomodado conforme ele aumenta, relaxando os ligamentos e ossos pélvicos, além de promover o aumento das glândulas mamárias.

Para que serve

O estrogênio desempenha um papel importante sobre a anatomia e as células da mulher, equilibra as gorduras no sangue e controla o colesterol. Ele também tem grande influência no comportamento da mulher, podendo levar aos sintomas de TPM durante o seu ciclo menstrual, o que ocorre quando há excesso desse hormônio no organismo.

Esse hormônio ainda age sobre a aparência da mulher, pois tem relação com a textura da pele e o desenvolvimento ósseo. Por essa razão, as mulheres que apresentam uma maior produção desse hormônio, possuem traços que são considerados mais femininos, o que inclui maxilar e nariz pequenos, enquanto que os lábios e olhos são maiores.

Falta de estrogênio no organismo

Para que o corpo funcione de forma correta, é fundamental que os hormônios se encontrem equilibrados, incluindo o estrogênio. As causas mais comuns para a baixa do estrogênio, além da chegada ou proximidade da menopausa, são:

  • Problemas de tireoide
  • Anorexia
  • Doença genética
  • Histerectomia (remoção do útero)
  • Baixa taxa de gordura corporal
  • Tratamento de radioterapia

Consequências do estrogênio baixo 

Quando o estrogênio está em níveis abaixo do normal, a mulher pode apresentar sintomas que se assemelham aos sintomas da menopausa (o que acontece mesmo quando ela não está passando por essa fase).

Os sintomas mais comuns são:

Ondas de calor

Responsável por inúmeras queixas das mulheres, as ondas de calor é um problema causado pela redução do hormônio, e pode perdurar por mais de um ano.

Aumento de peso

Quando os ovários deixam de produzir o estrogênio, o corpo entende que essa tarefa deve ser realizada pelas células de gordura, de forma a manter o equilíbrio dos níveis do hormônio. Entretanto, não são todas as mulheres que passam por essa situação na menopausa.

Osteoporose

A queda do estrogênio contribui para o aceleramento do desgaste ósseo. Dessa forma, a estrutura óssea fica mais porosa e fragilizada, o que aumenta as chances de fraturas em caso de quedas.

Dor nas relações sexuais

Quando o nível de estrogênio diminui, é comum que as mulheres passem a desenvolver infecções vaginais, devido ao aumento do corrimento nessa área. Além disso, a mucosa que reveste a vagina torna-se menos elástica e mais ressecada, o que pode resultar em lesões, dor e irritação durante o ato sexual.

Pele e cabelos ressecados

Como o estrogênio contribui para manter a pele e cabelos saudáveis, a sua falta promove a queda e o ressecamento de ambos. Para reduzir esses problemas, o recomendado é usar cremes ricos em colágeno no rosto e fazer hidratação regular nos cabelos.

Mudanças no humor

A mudança nos níveis do hormônio pode provocar alterações no humor, fazendo com que a mulher possa apresentar irritabilidade, depressão, ansiedade e até mesmo síndrome do pânico.

Como aumentar o estrogênio

Uma das formas de fazer com que o estrogênio volte a manter os níveis equilibrados no organismo é através de uma reposição hormonal. Essa terapia de reposição ajuda no alívio dos sintomas da menopausa, além de diminuir os riscos de osteoporose e doenças cardiovasculares.
O médico deve ser consultado para que, através do exame, seja identificado quais são os níveis do hormônio no organismo da paciente. Ao ser comprovada a baixa quantidade de estrogênio, a reposição é feita por meio de medicamentos que possuem hormônios femininos. Também há os estrogênios vaginais, que são aplicados diretamente na região da vagina.

Alimentos ricos em estrogênio

alimentos ricos em estrogenio

Quando a mulher chega à menopausa, a redução da função ovariana resulta da diminuição dos níveis de estrogênio e também de progesterona. Para manter os níveis de estrogênio em equilíbrio, é importante consumir regularmente alimentos ricos em fitoestrógenos.

Entre esses alimentos, encontram-se os grãos de soja, feijão e ervilha, orégano, hortelã, verduras, ameixas, inhame, mandioca, batata-doce, linhaça e damascos. Para a mulher que está na fase reprodutiva da vida, o equilíbrio desse hormônio proporciona o alívio da TPM, melhorando o humor e reduzindo as cólicas menstruais.

Estrogênio natural

A reposição de estrogênio por meios naturais, ajuda a minimizar os sintomas decorrentes da baixa quantidade do hormônio no organismo. Entre eles, encontram-se:

Cohosh preto

Essa raiz foi aprovada pelo Ministério da Saúde alemã como sendo uma planta que atua positivamente no tratamento de reposição natural do hormônio, reduzindo as ondas de calor. O extrato é encontrado na maioria das lojas que vendem produtos naturais.

Vitex Agnus Castus

Ajuda a minimizar as dores nas mamas, além de contribuir para manter o equilíbrio no humor e estimular o desejo sexual da mulher que se encontra no período pré-menopausa.

Dong Quai

Esse medicamento também ajuda a reduzir as ondas de calor na menopausa e é encontrado em forma de óleo, pó ou comprimido. Porém, estudos indicam que ele deve ser usado em conjunto a outros tratamentos para surtir o efeito desejado.

O uso de estrogênios naturais muitas vezes não apresenta estudos que comprovem os seus benefícios. Por essa razão, a medicina geralmente não os considera como a principal forma de tratamento, sendo então considerados como tratamentos alternativos.

Estrogênio no homem

Os homens também possuem estrogênio, que são produzidos pela gordura, fígado e pele em pequenas quantidades. Quando os homens apresentam uma concentração muito baixa de estrogênio no organismo, podem ter uma baixa libido e gordura abdominal em excesso.

Quando ocorre o oposto, ou seja, se o homem possui mais estrógeno do que o normal, as consequências são a possibilidade de desenvolver uma disfunção erétil, perda de pelos e aumento nas mamas.

Estrogênio na gravidez

Durante a gestação, os hormônios desempenham um papel muito importante no corpo da mulher. O nível de estrogênio aumenta, o que ajuda na dilatação dos vasos sanguíneos, assegurando a vida do feto até que ele se desenvolva preparando o corpo da mulher para o momento do parto.

A secreção do hormônio inicia nas primeiras semanas da gestação e aumenta rapidamente após a 16º semana, alcançando seu nível mais alto quando o nascimento do bebê está próximo. Isso provoca a dilatação dos órgãos sexuais e da abertura da vagina, possibilitando a passagem do bebê. Além disso, age no desenvolvimento da s glândulas mamárias para amamentar o bebê ao nascer.

Os níveis do hormônio podem aumentar em até trinta vezes em relação ao ciclo menstrual, o que pode levar a mulher a apresentar sintomas como dor de cabeça e rinite.

Qual a diferença entre estrogênio e progesterona

Tanto o estrogênio como a progesterona estão presentes no corpo da mulher e cada um deles apresenta uma função em seu organismo e comportamento. Enquanto o estrogênio tem relação com o desenvolvimento dos órgãos sexuais da mulher, a progesterona atua na gravidez.

A progesterona é produzida pelo corpo lúteo e, durante a gravidez, pela placenta. O hormônio faz com que o útero esteja preparado para receber o embrião, mantendo o útero relaxado e permitindo que o embrião seja fixado para se desenvolver. Além disso, também é responsável pela produção do leite materno.

A progesterona apresenta um nível maior na segunda fase do ciclo menstrual e é o que provoca os sintomas da TPM, como as alterações de humor.

Estrogênio conjugado

O estrogênio conjugado é usado na terapia de reposição hormonal e tem como função minimizar os sintomas moderados e intensos causados pela menopausa. Além disso, também tem como função prevenir a osteoporose e doenças cárdicas, tratar inflamações na vagina e na região da genitália.

O tratamento com o uso desse medicamento é indicado para mulheres que passaram por uma histerectomia e deve ser usado sempre com a indicação de um médico.

Onde encontrar estrogênio

Esse hormônio pode ser encontrado em forma de como pílulas, cremes tópicos, adesivos de pele, cápsulas e comprimidos, em qualquer farmácia ou através dos sites na internet. No caso de estrogênio natural, ele pode ser e encontrado em lojas de produtos naturais e em alimentos que contêm fitoestrógenos.

Onde comprar e qual o preço

Os suplementos de estrogênio podem ser comprados nas farmácias de todo o país e o preço vai de R$20,00 e pode chegar a custar mais de R$150,0. A variação de preço depende de diversos fatores, como a marca, tipo do medicamento e a quantidade.

Estrogênio engorda ou emagrece?

estrogenio engorda

O estrogênio é responsável pela deposição adiposa, ou seja, produz o inchaço, retenção de líquido e ganho de peso. Isso acontece como um ciclo: as células de gordura produzem o estrogênio que, quando elevados, fazem o metabolismo desacelerar. Em seguida, ocorre o armazenamento de gordura pelo corpo, fazendo com que o ciclo se repita.

Quando se encontra em seu nível normal, esse hormônio deixa a cintura mais fina, mantendo a forma arredondada nos quadris da mulher. Entretanto, na menopausa, as alterações provocam o acúmulo de gordura na região do abdômen.

Estrogênio afina a voz

A voz da mulher é influenciada diretamente pela produção e estrógeno, do mesmo modo que a voz dos homens é influenciada pela testosterona. Isso acontece principalmente porque esses hormônios determinam o desenvolvimento da anatomia da laringe.

No caso das mulheres, ele deixa a voz mais aguda e, no período de ovulação, a voz se torna mais atraente devido ao pico de estrogênio.

Como diminuir os níveis de estrogênio

Além de sofrer com os baixos níveis do hormônio, os altos níveis de estrogênio também podem incomodar as mulheres, resultando em sintomas como:

  • Dor de cabeça
  • Inchaço
  • Sensibilidade nos seios
  • Queda de cabelo
  • Alterações hormonais
  • Sintomas pré-menstruais aumentados
  • Períodos menstruais irregulares

Além das alterações relacionadas ao ciclo menstrual, o motivo para esse excesso pode ser por conta da exposição da mulher aos xenoestrogênios, que são substâncias químicas tóxicas e artificiais, presentes em agrotóxicos, plásticos e outros produtos químicos. Para evitá-los, o indicado é reduzir o consumo de leites e derivados, além de apostar em alimentos orgânicos.

Referências

www.natue.com.br/natuelife/estrogenio-conheca-as-funcoes-desse-hormonio-feminino.html

consultaremedios.com.br/estrogenios-conjugados/bula/para-que-serve

belezaesaude.com/estrogenio/

www.onlinefarma.com.br/noticia/para-que-serve-o-estrogenio

tudoela.com/estrogenio/

Estrogênio: o que é, função, falta, excesso e alimentos ricos no hormônioAvalie esta matéria!

%d bloggers like this: