Hipertireoidismo: Tire as Dúvidas e Melhore a Saúde

O hipertireoidismo ocorre quando a alta produção de hormônios pela tireoide aumenta de forma desproporcional. Por isso, a glândula tireoide torna-se hiperativa, produzindo em excesso os hormônios tiroxina (T4) e tri-iodotironina (T3).

Ele pode afetar o organismo de diversas formas.

Esse problema pode afetar homens e mulheres, porém, ela pode ser mais comum entre as mulheres (1).

Não deixe de ler e compartilhar.

Hipertireoidismo

A glândula da tireoide é um órgão do sistema endócrino. Ela está localizada na parte da frente do seu pescoço, logo abaixo da laringe. Ela produz os hormônios T4 e T3, que controlam o metabolismo.

Essa excessiva produção de hormônios que ocorre no hipertireoidismo pode impactar em diversas funções do organismo, e pode ser causada por:

Alterações do sistema imune;

– Ingestão de remédios para controlar o hipotireoidismo;

Ingestão excessiva de iodo;

– Inflamação da tireoide (tireoidite);

– Nódulos como o adenoma, que é mais comum em idosos;

Tumores nos testículos ou tumor nos ovários;

– Doença de Graves.

A causa mais comum de hipertireoidismo é a Doença de Graves, uma doença autoimune, que ocorre quando o próprio corpo produz anticorpos contra a tireoide.

As mulheres que possuem hipertireoidismo devido a Doença de Graves, podem transferir essa disfunção da tireoide também para o feto durante a gestação.

Hipertireoidismo tem como fator de risco a genética. Por isso, se você tem parentes que foram diagnosticados com hipertireoidismo, procure um médico.

Sintomas 

O hipertireoidismo apresenta diversos sinais e sintomas, independente da causa. No entanto, alguns pacientes não apresentam sintomas. Em pacientes com idade superior a 70 anos, os sinais e sintomas típicos também não aparecer (2).

No geral, os sintomas se tornam mais evidentes à medida que o nível de hipertireoidismo aumenta. Eles estão geralmente ligados ao aumento da taxa metabólica no corpo.

São eles (3):

  • Calor;
  • Aumento da transpiração;
  • Fraqueza muscular;
  • Mãos trêmulas;
  • Batimentos cardíacos acelerados (taquicardia), arritmia e palpitações;
  • Cansaço / fadiga;
  • Perda de peso repentina – mesmo comendo da mesma forma;
  • Aumento do apetite;
  • Tremor nas mãos e dedos;
  • Diarreia ou evacuações frequentes;
  • Irritabilidade, ansiedade e nervosismo;
  • Problemas dos olhos, tais como irritação ou desconforto, olhos saltados;
  • Irregularidade menstrual;
  • Infertilidade;
  • Bócio (glândula tireoide visivelmente aumentada) ou nódulos na tireoide;
  • Dificuldade para dormir;
  • Afilamento da pele;
  • Cabelo quebradiço (perda de cabelo);
  • Inquietação;
  • Desenvolvimento da mama em homens;
  • Pele fria e úmida;
  • Pressão alta;
  • Coceira geral;
  • Náusea e vômitos;
  • Pulso rápido e irregular;
  • Ruborização da pele.

Para diagnosticar o hipertireoidismo, o médico realizar exame de ultrassonografia, e exames de sangue para medir os níveis hormonais.

Para examinar qual tipo de hipertireoidismo você tem, o médico poderá fazer um teste de absorção de iodo radioativo para medir a quantidade de iodo, que a sua tireoide recolhe da corrente sanguínea.

O exame de imagem também pode ser exigido para descobrir o tamanho da tireoide, e se existe a presença de nódulos.

Se você possui os sintomas acima não se esqueça que o autoexame também é importante.

Tratamentos

Hipertireoidismo e Tratamentos. Imagem: (Divulgação)

Existem diversos tratamentos para o hipertireoidismo que dependem da idade, dos sintomas apresentados e do nível da doença. Os tratamentos para hipertireoidismo disponíveis são (4):

  • Medicamentos Antitireoidianos

Indicados sempre pelo médico, após os exames necessários.

  • Iodo Radioativo

Ele consiste em tomar cápsulas de iodo radioativo que irão destruir o tecido tireoidiano, destruindo também a tireoide permanentemente.

Porém, pode ser necessário fazer uso de comprimidos hormonais tireoidianos pelo resto da vida, para manter os níveis hormonais normais. Este tipo de tratamento é contraindicado em casos de gravidez ou para mulheres que estejam amamentando.

  • Beta-Bloqueadores

Esse tipo de remédio (tal como o atenolol) não diminuem a produção de hormônios da tireoide, mas conseguem controlar muitos sintomas graves; como a aritimia cardíaca, os tremores e a ansiedade.

  • Cirurgia de Retirada da Tireoide

A remoção cirúrgica da tireoide (tireoidectomia) é uma solução permanente, mas não é a preferida; devido ao risco de danos às glândulas que controlam os níveis de cálcio no organismo e aos nervos da laringe (cordas vocais).

Ela é indicada quando os outros tratamentos não trazem resultados; ou quando existe a presença de nódulos, aumento exagerado da tireoide ou até mesmo câncer.

A cirurgia pode ser total ou parcial, sendo retirada a tireoide inteira ou apenas uma parte.

A recuperação dela é simples; após a cirurgia é recomendado repouso para não provocar inchaço ou sangramento no local do corte.

Todas estas terapias possuem riscos.

Consulte o seu médico para descobrir qual a melhor opção de tratamento para você.

Se você já teve hipertireoidismo, já foi tratado(a) ou ainda está em tratamento, sempre faça o acompanhamento médico.

É importante garantir que os níveis dos hormônios da tireoide estejam normais, e que você receba cálcio suficiente para manter os ossos fortes.

Além do tratamento médico e acompanhamento, é importante prestar atenção à sua alimentação.

Muitos alimentos consumidos atualmente prejudicam a saúde, inclusive o bom funcionamento da sua tireoide.

E mesmo que você consuma de vez em quando alguns alimentos naturais, isso não é bastante para garantir a boa saúde e prevenir doenças. Se você costuma comer alimentos industrializados e processados, está à um passo ver a sua saúde minguar aos poucos.

 

%d blogueiros gostam disto: