249 cidades do Brasil já exige passaporte de vacina; veja como emitir

249 cidades do Brasil já exige passaporte de vacina; veja como emitir
Conteúdo Criado e Revisado pela nossa equipe

O passaporte da vacinas contra a covid-19 já é exigido em locais públicos de pelo menos 249 municípios brasileiros. O documento, divulgado pelo Ministério da Saúde há menos de um mês, foi criticado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem o partido), mas é cobrado em pelo menos 4,5% das cidades do país.

Os dados são de uma pesquisa realizada pela CNM (Federação Nacional dos Municípios) entre os dias 20 e 23 de setembro, e um total de 2.461 municípios responderam.

Para o presidente da entidade, Paul Ziulkowski, considerando que menos da metade das mais de 5.500 cidades do país responderam à pergunta, o número real deve ser maior.

Ziulkoski disse que a federação se reunirá com  prefeitos para encorajar mais cidades a adotar essa exigência. Para ele, o passaporte é uma das principais estratégias utilizadas pelos municípios para incentivar as pessoas a se vacinarem, não o discurso do presidente.

“A vacinação é nossa principal proteção e são os municípios que estão na ponta lidando com as consequências do adoecimento da população pela Covid. Embora o presidente seja contra [a exigência do passaporte], nós somos a favor do que defende a ciência”, diz.

Duas das maiores cidades do país, São Paulo e Rio de Janeiro, já começaram a exigir passaportes. Em São Paulo, a exigência vale apenas para eventos como shows, feiras e congressos – estabelecimentos comerciais não estão incluídos.

No Rio de Janeiro, além dos espaços de eventos, o documento também é exigido em academias, clubes, cinemas e teatros. Em ambos os casos, a pessoa não precisa mais tomar as duas doses ou uma única – basta se manter a par das vacinas.

O requisito de certificação para certos tipos de organizações comerciais gerou desafios legais. No Rio, após questionar o fato de a portaria municipal não contemplar restaurantes, bares e shopping centers, os dois clubes obtiveram o embargo e dispensaram a exigência.

Mesmo que não haja exigência para todos os locais públicos, alguns locais começaram a cobrar taxas de documentos em seus locais. Além de instituições de ensino como a USP, o caso também ocorre na Justiça e na Fazenda Pública de São Paulo.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, também disse que considerou a exigência do passaporte “totalmente descabida”.

De acordo com o estudo da CNM, em termos percentuais, a região Norte (20,7%) tem mais cidades, seguida da região Nordeste (15,6%). O Sudeste é a região com o menor percentual, com a exigência em apenas 6,6% dos municípios.

No entanto, as regras são diferentes para cada local. Há casos em que a regulamentação municipal exige a caderneta de vacinação impressa ou o certificado digital do aplicativo Connect SUS. Por outro lado, outras cidades aceitam a prova digital feita pelos estados – no caso de São Paulo, que possibilita a prova pelo VaciVida, do governo do estado.

O passaporte nacional da vacina começou a ser emitido digitalmente no dia 31 de agosto pela Conecta SUS, aplicativo oficial do Ministério da Saúde. Com opção em português, espanhol e inglês, o certificado também pode ser usado em viagens internacionais.

Imagem de perfil

Escrito por Francisco Araújo

Todos os Direitos Reservados ao site - bemaisaude.com.br © 2024 Por Logo Robô das Receitas Robô das Receitas