Candidíase: Conheça os alimentos que promovem o seu crescimento

0
78

A candidíase é uma infecção fúngica causada pelo fungo Candida albicans que geralmente se acumula na área genital, causando coceira, secreção e inflamação na área. O microrganismo normalmente vive no organismo sem causar danos, mas em situações de desequilíbrio a população cresce e torna-se prejudicial ao organismo.

De maneira geral, a Candida albicans está presente em pequenas quantidades e de forma harmoniosa no trato gastrointestinal e região vaginal, chamada comensal, sem causar sintomas.

Se esse fungo crescer demais, teremos um problema sério que pode se transformar em candidíase crônica, difícil de tratar e combater.

A reprodução excessiva de Candida pode causar doenças e sintomas em quase todos os sistemas do corpo: trato gastrointestinal, trato geniturinário, endócrino, pele, nervos e sistema imunológico.

Aprendamos mais sobre os alimentos que ajudam esse fungo a crescer, e quais são os que combatem a candidíase.

Veja Mais: Remédios caseiros para candidíase que realmente funcionam

Alimentos que nutrem a candidíase

Vários alimentos ajudam a estimular o crescimento excessivo de Candida. Os culpados são: açúcar, leite, glúten, alimentos ultraprocessados ​​(aditivos químicos) e alimentos com alto teor de fungos e leveduras.

Todos e quaisquer alimentos que causam alergias devem ser evitados por meio de testes específicos.

A dieta inadequada pode causar alterações na flora intestinal (microbiota), levando ao predomínio de espécies bacterianas e fúngicos relacionadas à inflamação.

Açúcar

A infestação por Candida faz com que as pessoas anseiem por doces e carboidratos: o açúcar é seu principal nutriente.

Limitar o consumo de carboidratos simples é uma necessidade absoluta no tratamento da candidíase crônica: açúcar (branco, cristalino, marrom, demerara, orgânico, coco), mel, sucos de frutas, iogurtes adoçados, doces em geral, produtos de farinha como pão e biscoitos, arroz branco e Castanha.

Leite

Você deve limitar ou eliminar o leite, pois ele é rico em lactose, um tipo de açúcar que também nutre a Candida.

Além disso, o leite é um dos alérgenos alimentares mais comuns que piora a função de barreira intestinal, causa inflamação (disbiose) e contribui para a disseminação do fungo.

Glúten e leveduras

O glúten (encontrado na farinha de trigo), alimentos ultraprocessados ​​e adoçantes artificiais podem sensibilizar a parede intestinal e alterar a flora, o que é benéfico para a Candida.

Alimentos que contêm fermento, fungo ou mofo incluem bebidas alcoólicas fermentadas, pão, frutas secas, cogumelos, amendoim, milho seco e molho de soja.

Embora existam diferenças a esse respeito, você pode consumir produtos fermentados como iogurte natural, kefir e kombuchá com moderação.

Alimentos que normalizam a cândida

Conheça os alimentos a evitar (açúcar, leite, glúten, carboidratos simples, alimentos ultraprocessados ​​e alimentos alérgicos), aqui estão algumas sugestões que podem ser utilizadas no cardápio.

A dieta anti-candida consiste em alimentos reais, alimentos naturais, vegetais, legumes, frutas, proteínas e gorduras de alta qualidade.

Hortifruti

Vegetais com baixo teor de carboidratos estão livres para serem consumidos à vontade: folhas verdes, aspargos, repolho, brócolis, couve-flor, aipo, pepino, tomate, berinjela, cebola, espinafre, abobrinha etc.

As batatas podem ser consumidas em pequenas quantidades. Frutas que liberam baixo índice glicêmico: limão, morango, pêra, maçã, kiwi, melão.

As frutas mais doces como banana, manga, caqui e uvas devem ser consumidas com moderação.

Proteínas e gorduras

Proteínas como carne, frango, peixe e ovos fazem parte dessa dieta e devem ser consumidas diariamente.

Gorduras saudáveis também são bem-vindas: abacate, azeitonas, óleo de coco, azeite extravirgem.

Produtos lácteos com baixo teor de lactose também podem fazer parte do cardápio: manteiga, ghee, kefir, iogurte natural (sem açúcar).

Sementes e especiarias

As sementes oleaginosas são ricas em boas gorduras, vitaminas e minerais, mas pobres em açúcares simples: amêndoas, sementes de girassol e abóbora, coco, chia, sementes de linho, nozes macadâmia.

Ervas e especiarias estimulam o sistema imunológico e podem ser usados ​​à vontade: pimenta preta e vermelha, canela, alho, gengibre, orégano, alecrim, páprica, açafrão e tomilho.

Veja Mais: 5 dicas para evitar o contágio da candidíase vaginal

Condimentos e adoçantes

Temperos liberados: vinagre de maçã, aminas de coco e fermento nutricional.

Adoçantes naturais: estévia, eritritol, xilitol. Bebidas: água natural ou gaseificada, café, todos os chás, água de limão, água de coco, kombucha (com moderação -100 a 200 ml por dia).

Como substituir

Se você tem um apetite irresistível por doces, coma chocolates adoçados com estévia ou xilitol (existem várias opções no mercado) ou faça lanches com baixo teor de carboidratos (existem muitas receitas na internet).

Evite produtos que contenham adoçantes artificiais (aspartame, sucralose, acessulfame-K, sacarina, ciclamato) porque eles alteram negativamente a composição da microbiota.

Para o leite, se não houver alergia, pode-se usar a versão sem verniz, mas é ideal substituí-lo por leite vegetal.