×

Farinha de amendoim: uma fonte de proteína na dieta

Farinha de amendoim: uma fonte de proteína na dieta

O amendoim é a semente comestível da leguminosa Arachis hypogaea, cujos frutos contêm sementes valorizadas na culinária. É rico em valor nutricional protéico e, quando convertido em farinha de amendoim, seu valor nutricional aumenta muito.

Esta farinha é uma boa alternativa às farinhas com baixo teor de proteína. Como tal, pode enriquecer certas preparações e até substituir o glúten na dieta. Outra vantagem é que contém gorduras de alta qualidade comparáveis ​​ao azeite.

Continue lendo e você ficará animado para aprender sobre as aplicações da farinha de amendoim e como ela pode ajudar a enriquecer sua dieta com proteínas e outros nutrientes de alto valor.

O que é amendoim?

O amendoim é a sexta safra mais barata do mundo. Está disponível para consumo humano como fonte de proteínas, gorduras, minerais e vitaminas.

Do ponto de vista botânico, não é uma oleaginosa como a noz ou a avelã, mas uma leguminosa pertencente ao gênero Amendoim, nativa da América do Sul. A nível gastronómico, é utilizado como fruto seco devido às suas características de textura, sabor e teor de gordura.

O amendoim é muito apreciado como lanche, seja frito, assado com ou sem sal, assado, pasta de amendoim, leite de amendoim, barras salgadas e doces, manteiga, manteiga de amendoim e substitutos de queijo.

Também é usado como ingrediente em outros produtos e é usado na produção comercial de óleo. A manteiga de amendoim sem gordura é usada para fazer farinha.

Leia também: Alimentos que promovem a perda de peso, mesmo em dietas calóricas, mostra estudo

Como é obtida a farinha de amendoim?

Geralmente, a farinha de amendoim convencional é obtida a partir da farinha de amendoim integral. Depois que a gordura é extraída, ela é moída novamente.

A farinha é usada para fazer massas, vários lanches e bebidas. Suas propriedades emulsificantes o tornam a primeira escolha para caril, biscoitos e sopas.

Também pode ser usado como farinha composta quando misturado com outras farinhas que não o trigo, ou quando o trigo precisa ser suplementado com uma fonte rica em proteínas. Outros especialistas o utilizam para fortificar o pão, aumentar o valor da proteína e melhorar a aceitação sensorial do produto.

Homem com tigela de amendoim.
O amendoim é amplamente utilizado na gastronomia. 

Propriedades nutricionais da farinha de amendoim

Quando a gordura é removida do amendoim, as calorias são bastante reduzidas. Essa perda de gordura pode chegar a 30%.

Por exemplo, a manteiga de amendoim tem 45-50% de gordura, enquanto a farinha tem 10-15% de gordura. Isso também é vantajoso porque a proteína é mais concentrada.

Embora a massa gorda seja reduzida, a qualidade ainda é boa. É dominado por ácidos graxos oleicos, que são as propriedades monoinsaturadas do azeite.

Vários escritos científicos mostram o conteúdo nutricional da farinha de amendoim, expresso por 100 gramas de produto:

  • Umidade: 4,2%.
  • Proteínas: 46 gramas.
  • Gordura: 11,5 gramas.
  • Sódio: 0,22 miligramas,
  • Magnésio: 2,59 miligramas.
  • Manganês: 13 miligramas.
  • Potássio: 6,81 miligramas.
  • Carboidratos: 22,5 gramas.
  • Fibra: 16 gramas.
  • Ácido oleico: 45,2% da gordura total.
  • Ácido linoleico: 42,1% da gordura total.

Destaca-se pelo seu alto valor proteico e fibroso, podendo enriquecer produtos e outras farinhas refinadas. Desta forma, melhora-se o trânsito intestinal e evita-se a prisão de ventre.

Os minerais encontrados em maiores proporções são sódio, magnésio, manganês e potássio. O manganês em 100 gramas de farinha de amendoim pode atender quase 100% da necessidade diária.

Além disso, 45% da gordura é ácido graxo oleico e 42% é ácido graxo essencial linoleico. Este último é o ômega 6, que deve ser equilibrado com a ingestão de ômega 3 devido aos seus efeitos pró-inflamatórios.

Por outro lado, em termos de valor vitamínico, a niacina foi a mais proeminente, seguida pelas vitaminas do complexo B, e a vitamina E diminuiu ligeiramente quando a gordura foi removida do amendoim inteiro.

Proteína de farinha de amendoim

O amendoim contém mais proteína do que qualquer outra noz, e a quantidade é comparável a uma porção de feijão. Na farinha, quando o óleo é extraído da torta de amendoim, a proporção de proteína aumenta para 50%.

De acordo com o Protein Digestibility Corrected Amino Acid Score (PDCAAS), o amendoim é equivalente à carne e aos ovos. Ele contém todos os 20 aminoácidos em diferentes proporções. O valor de PDCAAS é de 0,7 em 1, comparado a 0,46 para trigo integral.

O perfil de aminoácidos da farinha sugere que ela pode atuar como um ingrediente fortificante. Além disso, sua digestibilidade proteica é comparável à proteína animal. Os aminoácidos limitantes são lisina, metionina e treonina.

O aminoácido estrela da proteína do amendoim

O amendoim é considerado a maior fonte do aminoácido arginina. Este é um aminoácido semi-essencial porque o corpo o fornece por conta própria, mas às vezes você precisa de um suplemento.

A arginina tem várias funções, como estimular o sistema imunológico, regular os hormônios e o açúcar no sangue e até promover a fertilidade masculina. Também ajuda o fígado a desintoxicar e neutralizar os efeitos de substâncias tóxicas no corpo.

Confira outras receitas em nosso site e siga nossa página no Facebook para ficar por dentro das novidades mais populares da culinária!

Por outro lado, é um precursor do óxido nítrico, que relaxa as artérias, melhora o fluxo sanguíneo e melhora o tempo de cicatrização do tecido danificado.

Benefícios da farinha de amendoim

A farinha de amendoim pode proporcionar os mesmos benefícios que o amendoim integral, mas com valores mais baixos de energia e vitamina E.

Fonte de antioxidantes

O amendoim e suas farinhas contêm grandes quantidades de antioxidantes, sendo o resveratrol e os flavonóides os mais proeminentes. A primeira tem o mesmo efeito antioxidante das uvas roxas. Portanto, a farinha de amendoim tem efeitos protetores contra doenças cardíacas, doenças neurodegenerativas e inflamação sistêmica.

Os flavonóides, um tipo de polifenóis como o ácido cumárico, também protegem contra doenças cardíacas e previnem a transformação celular maligna. Esses compostos também estão presentes no vinho, maçãs e chá verde.

As uvas têm antioxidantes como a farinha de amendoim.
Com as uvas roxas, o amendoim compartilha a composição de antioxidantes benéficos para a saúde, como o resveratrol.

Pode melhorar o risco de doença cardíaca coronária

As gorduras que permanecem na farinha de amendoim são principalmente gorduras monoinsaturadas, que reduzem o colesterol total e LDL e mantêm o HDL ou colesterol bom.

Os benefícios da gordura de amendoim são comparáveis ​​aos do azeite. A pesquisa mostrou uma relação entre essas gorduras monoinsaturadas e um risco reduzido de doença cardíaca coronária.

Pode prevenir doenças neurodegenerativas

A farinha de amendoim é rica em niacina e mantém níveis aceitáveis ​​de vitamina E, prevenindo assim a doença de Alzheimer e o declínio cognitivo relacionado à idade.

Ajuda no controle de peso

Observou-se que não existe nenhum tipo de amendoim que não cause ganho de peso. Além disso, as dietas que o contêm são mais aceitáveis.

Como aproveitar melhor a proteína da farinha de amendoim?

Adicione 3 colheres de chá ou 15 gramas a diferentes preparações durante o dia para aproveitar a alta concentração de proteína encontrada na farinha de amendoim. Esta quantidade fornece 7 gramas de proteína com digestibilidade aceitável e um bom perfil de aminoácidos.

Recomenda-se consultar o nutricionista sobre as necessidades diárias de proteína.

Você pode adicionar farinha diretamente ao iogurte ou smoothies de vegetais, dissolvê-la em um copo de aveia com leite ou leite de amêndoa, misturá-la com outras farinhas de grãos para panificação ou adicioná-la a molhos caseiros, creme e bastão energético.

Confira: Bebida desintoxicante com abacaxi, pepino e aipo: Veja como fazer