Incontinência urinária feminina: Como parar de fazer xixi na roupa?

0
105

A incontinência urinária é a passagem involuntária de urina pela uretra. O distúrbio mais comum em mulheres pode se manifestar tanto na quinta ou sexta década de vida quanto em mulheres mais jovens.

Esta doença é prevalente em mulheres e ocorre duas vezes mais que nos homens. As mulheres pertencentes a este grupo costumam urinar com um sorriso,enquanto corre e corre e conviver com o  escape de urina antes de chegar ao banheiro é uma realidade constante.

Essa prevalência entre as mulheres pode ser causada pela gravidez, parto ou menopausa. Na verdade, algumas pessoas associam isso ao envelhecimento. No entanto, a incontinência urinária não é um fenômeno normal do envelhecimento e pode ser tratada.

Portanto, sabemos que existem maneiras alternativas de ajudá-la a tratar a incontinência urinária.

O que é incontinência urinária?

A incontinência urinária é uma doença que afeta gravemente a qualidade de vida e prejudica o bem-estar físico, emocional, psicológico e social.

Basicamente, existem dois tipos mais comuns de incontinência urinária que afetam as mulheres:

Incontinência de esforço: quando a urina vaza quando você exerce pressão sobre a bexiga. Ou seja, ao tossir, espirrar, rir, fazer exercícios ou levantar algo pesado.

Incontinência de urgência: Quando você sente uma vontade repentina e forte de urinar e, em seguida, perde urina involuntariamente. Por exemplo, urinar com frequência mesmo à noite é um dos sinais.

Além disso, a incontinência de urgência pode ser causada por outras condições. Doença leve, como infecção, ou doença mais séria, como doença neurológica ou diabetes,embriaguez, indisponibilidade de banheiros, tosse, espirros, ansiedade extrema ou riso intenso.

Mudanças Comportamentais para controlar a incontinência urinária

Às vezes, pequenas mudanças em seus hábitos diários podem ajudar a controlar a incontinência urinária.

  • Pare de fumar. Afinal, causa tosse e pode causar câncer de bexiga. Além disso, quando você tosse com frequência, os músculos da bexiga podem ficar mais irritados e mais difíceis de controlar.
  • Treinamento da bexiga. Isso significa controlar o tempo e a frequência de uso do banheiro. Primeiro, você manterá um diário 24 horas por dia para registrar informações detalhadas sobre seus hábitos, incluindo seus hábitos alimentares e como você se sentia antes do vazamento ocorrer. A ideia é estar ciente de quanto você pode controlar sua bexiga.
  • Exercícios para o assoalho pélvico. Uma prática bem conhecida é Kegels, uma forma simples de fortalecer o assoalho pélvico. Basicamente, você vai contrair, relaxar os músculos e repetir. Como resultado, esses exercícios ajudam a controlar o fluxo de urina.

Diagnóstico de Incontinência urinária

O primeiro passo para testar a incontinência urinária é consultar seu médico e contar-lhe sobre seu histórico médico e como os sintomas afetam sua vida.

Alguns exames podem ser pedidos, tais como:

  • Exame de urina: uma amostra de urina está marcada para sinais de infecção, vestígios de sangue ou outras anormalidades
  • Diário da bexiga: durante vários dias, deve ser anotado o quanto o paciente bebe, quantas vezes urina, a quantidade de urina produzida, se houve vontade de urinar e o número de episódios de incontinência
  • Medição residual pós-miccional: verificação da quantidade de urina produzida e quantidade de urina restante na bexiga. Uma grande quantidade de urina restante pode significar que uma obstrução no trato urinário ou um problema com os nervos ou músculos da bexiga.

Tratamento de Incontinência urinária

O tratamento da incontinência urinária depende do tipo, gravidade e causa subjacente da incontinência urinária.

Veja Mais: Tratamento caseiro para infecção urinária

Pode ser necessária uma combinação de tratamentos. A equipe média pode propor os tratamentos menos invasivos primeiro e só passar para outras opções se as primeiras técnicas falharem.

Técnicas comportamentais

  • Treinamento da bexiga, para retardar a micção depois que você tem o desejo de ir. Você pode começar por tentar adiar por 10 minutos a cada vez que você sentir vontade de urinar. O objetivo é estender o tempo entre as idas ao banheiro até urinar apenas uma vez a cada 2-4 horas.
  • Micção dupla, para ajudar a aprender a esvaziar a bexiga mais completamente para evitar a incontinência por transbordamento. Micção duplo significa urinar, esperar alguns minutos e tentar novamente.
  • Programadas idas ao banheiro a cada duas a quatro horas em vez de esperar a necessidade de ir.
  • Dieta com controle de fluídos, recuperar o controle da bexiga. Pode ser necessário limitar ou evitar álcool, cafeína ou alimentos ácidos. Reduzir o consumo de líquidos, aumentar o consumo de fibras, perder peso ou aumentar a atividade física também pode aliviar o problema.

Medicamentos

Medicamentos usados para tratar a incontinência incluem:

  • Anticolinérgicos
  • Mirabegron
  • Bloqueadores alfa
  • Estrogênio tópico.

Medicamentos para Incontinência urinária

A incontinência urinária pode ter várias causas, portanto o tratamento varia de acordo com o diagnóstico estabelecido pelo seu médico. Portanto, apenas um especialista treinado pode lhe dizer qual medicamento é melhor para você, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento.

Os medicamentos mais comuns usados ​​para tratar a incontinência urinária são:

  • Cinarizina

Siga sempre as instruções do seu médico e NUNCA se automedique. Não pare de usar o medicamento sem antes consultar o seu médico e, se tomar mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que as prescritas, siga as instruções do folheto informativo.(BULA).

Alguns dispositivos médicos também podem ser usados para tratar a incontinência urinaria ,entre eles podemos citar:

  • Inserção uretral de um dispositivo pequeno, do tipo descartável inserido na uretra vaginal antes de uma atividade específica, como tênis, que pode provocar incontinência. A inserção atua como um tampão
  • Pessário, um anel rígido para inserir na vagina e usar todos os dias. O dispositivo ajuda a segurar a bexiga, que fica perto da vagina, para evitar a perda de urina.