Proteção da vacina Pfizer diminui após dois meses aponta estudo feito em Israel 

0
9

Pesquisa realizada com 4.800 profissionais de saúde em Israel confirma imunidade reduzida da vacina Pfizer, após duas doses, o número de anticorpos presentes no corpo diminuiu rapidamente.

A proteção imunológica fornecida por duas doses da vacina da Pfizer contra Covid-19, uma doença causada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, desaparece após cerca de dois meses.

No entanto, a proteção contra casos graves de Covid-19 sem hospitalização e morte continua forte.

As descobertas vêm de dois estudos em Israel e no Qatar publicados no New England Journal of Medicine.

As duas investigações confirmaram que a proteção imunológica fornecida pelas duas doses da vacina Pfizer contra a doença diminuiu após cerca de dois meses, reiterando a recomendação das autoridades de saúde de que mesmo as pessoas totalmente vacinadas precisam estar vigilantes.

leia mais:

Pesquisa realizada em Israel apontou que, após a segunda dose da vacina, o número de anticorpos presentes no corpo diminuiu rapidamente, especialmente em homens, pessoas com 65 anos de idade ou mais e imunossuprimidos.

“Conduzimos este estudo prospectivo de corte longitudinal envolvendo profissionais de saúde no Sheba Medical Center, um grande centro médico em Israel”, escreveu o médico Gili Regev-Yochay de Sheba e uma equipe de investigadores. 

O estudo israelense também concluiu que as pessoas que foram vacinadas após serem  infectadas com Covid-19 têm maior imunidade.

Os pesquisadores escreveram que, em geral, nossa pesquisa e outros estudos acumularam evidências de que a resposta humoral de longo prazo e a eficácia da vacina de pessoas previamente infectadas são melhores do que aquelas que receberam duas doses da vacina.

Além disso, o segundo estudo conduzido no Qatar analisou a situação atual da infecção entre as populações totalmente vacinadas na região. A grande maioria dos residentes recebeu a vacina Pfizer / BioNTech.

A proteção anti-infecciosa induzida pelo BNT162b2 aumentou rapidamente após a primeira dose, atingiu o pico no primeiro mês após a segunda dose e, em seguida, diminuiu gradualmente nos meses seguintes ”, disse Weill Cornell School of Medicine, Catar, Laith Abu-Raddad e colegas.

A partir do quarto mês, a queda pareceu se acelerar, atingindo um nível baixo de cerca de 20% nos meses seguintes.

No entanto, segundo especialistas, a taxa de proteção contra hospitalização e morte é superior a 90%.

Para eles, a redução da proteção pode estar relacionada ao comportamento diário do indivíduo.

“Em comparação com as pessoas não vacinadas, as pessoas vacinadas podem ter uma taxa mais alta de contato social e podem ter um grau menor de conformidade com as medidas de segurança “, escreveu o autor do estudo.

“Comparado com a eficácia biológica, esse comportamento pode reduzir a eficácia da vacina no mundo real, o que pode explicar a proteção reduzida”, concluíram.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui