Riscos da automedicação pesquisada na Internet

A automedicação pesquisada na Internet e por indicação de conhecidos são muitos, portanto, deve-se evitar tomar remédios por conta própria,pois essa atitude pode acarretar a problemas graves na sua saúde.

A automedicação costuma ser vista como uma solução imediata para o alívio de certos sintomas, mas as consequências podem ser mais graves do que se imaginava.

De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), os medicamentos sem prescrição médica não exigem a compra de receita e exposição no balcão, mas podem causar sérias complicações à saúde.

Ao contrário da crença popular, seu consumo deve ser personalizado de acordo com as necessidades de cada um.

Com o uso prático dos buscadores, o número de buscas por sintomas de doenças não para de crescer, tornando cada vez mais frequente a busca pela automedicação na Internet.

A rotina turbulenta e a procrastinação dos cuidados com a saúde, como as consultas de rotina, contribuem ainda mais para esse cenário. Para maior comodidade, muitas pessoas se acostumaram a pesquisar na Internet e assim resolver todo tipo de problemas.

O Instituto de Pesquisa e Pós-Graduação para Farmacêuticos (ICTQ) fez uma pesquisa que revelou que 76,4% da população brasileira faz uso de medicamentos por indicação de familiares, amigos, colegas e vizinhos.

Essas pessoas vão tomar qualquer tipo de medicamento e tomá-lo quando necessário, podendo até aumentar a dose para obter resultados mais rápidos.

4 riscos da automedicação por pesquisas na Internet

pexels-photo-3873191 Riscos da automedicação pesquisada na Internet
Créditos da Imagem Pexels

1. Intoxicação

A intoxicação é uma série de sinais e sintomas causados ​​pela exposição a produtos químicos prejudiciais ao corpo, como a overdose de medicamentos.

As reações alérgicas são causadas principalmente por analgésicos, antiinflamatórios e antipiréticos, que podem fazer com que o paciente adoeça gravemente.

Quando você está bêbado, pode sentir sintomas como aumento da freqüência cardíaca, pressão alta ou baixa, vermelhidão, vômito e dor abdominal.

Automedicação em crianças

As crianças correm maior risco de intoxicação, pois o acúmulo de medicamentos no organismo afetará o funcionamento dos órgãos e produzirá sequelas.

Para crianças com dor de ouvido, congestão nasal, febre, dor de dente, alergias, gripe e sinusite, os pais devem dar medicação imediatamente para aliviar a dor e os sintomas. No entanto, as crianças são os organismos mais sensíveis, por isso são mais suscetíveis ao envenenamento.

2. Interação medicamentosa

Quando uma droga entra em contato com outra droga, alimento ou droga (álcool, cigarros ou droga ilegal), ela pode reagir. As reações podem ser benéficas, mas também podem prejudicar o corpo do indivíduo.

À medida que diminui a atividade de órgãos como o fígado e os rins nos idosos, a idade também aumenta a possibilidade de reações e complicações.

Portanto, é muito importante ler as informações sobre “interação medicamentosa” no folheto do medicamento e evitar a busca por autoadministração pela Internet sem orientação médica.

3. Resistência de microrganismos

O uso excessivo de antibióticos aumentará a resistência dos microorganismos. Dessa forma, as bactérias se tornam mais resistentes, por isso é necessário usar antibióticos mais fortes para combatê-las. Portanto, é muito importante consultar um médico antes de usar esses medicamentos para evitar outras complicações.

4. Dependência

Pacientes com dor sentirão alívio imediatamente após tomarem o medicamento, podem desenvolver dependência química e usar o medicamento repetidamente.

O uso excessivo de drogas pode fazer com que a substância se torne tóxica ou perca seu efeito terapêutico com o tempo.

Além disso, o abuso de drogas pode gerar várias complicações de saúde, como parada respiratória, arritmias, insuficiência hepática aguda e muito mais.

Para pessoas que já são dependentes, recomenda-se removê-los de acordo com a orientação do médico para reduzir os efeitos da falta de medicamentos no organismo (síndrome de abstinência).

Também é recomendado fornecer suporte psicológico aos indivíduos por meio de psicoterapia para estabelecer um mecanismo de enfrentamento durante o tratamento.

Os psicólogos atuam motivando o paciente a focar na mudança de comportamento e na formação de novos hábitos, podendo também utilizar técnicas de relaxamento para reduzir a ansiedade, sintoma recorrente nessas situações.

Proteja sua família

O risco de autoadministração por meio de pesquisas online e conhecidos é muito alto, portanto, a autoadministração deve ser evitada.

A melhor opção é ir ao hospital e consultar um profissional de saúde para a medicação adequada.

A leitura da bula é importante, pois contém informações relevantes sobre o medicamento, tais como: indicações, contra-indicações, reações, precauções e interações medicamentosas.

Você pode consultar as bulas eletronicamente no site da ANVISA, bem como a página de cada medicamento na Consulta de Remédios, bula de forma mais estruturada e de fácil compreensão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: