tumores neuroendócrinos

Tumores neuroendócrinos de pâncreas conheça os tratamentos

Os tumores neuroendócrinos de pâncreas são um conjunto de tipos de tumor endócrino que se originam nas células das ilhotas pancreáticas. Em geral, são pouco agressivos, embora possam ser potencialmente malignos.

Tipos de tumor neuroendócrino de pâncreas

A primeira coisa a saber é que pode haver dois tipos de tumores nas ilhotas pancreáticas: funcionais ou não funcionais.

Tumores funcionais

Quando os tumores são funcionais, os hormônios são secretados em excesso. Este tipo de tumor inclui:

  • Gastrinoma: é um tumor que provoca a secreção de gastrina. É o responsável pela hipergastrinemia da síndrome de Zollinger-Ellison.
  • Insulinoma: é um dos tumores neuroendócrinos de pâncreas mais frequentes. É uma patologia na qual se produz insulina em excesso. No entanto, costuma ser benigno.
  • Glucagonoma: é um tumor maligno. Ocorre um aumento do glucagon secretado pelas células alfa nas ilhotas.
  • Somatostatinoma: trata-se de um tumor extremamente raro e geralmente maligno. É um tumor hipersecretor de somatostatina.
  • VIPoma: esse tipo de tumor é de baixa incidência e é hipersecretor de um polipeptídeo intestinal.
  • ACTHoma: o ACTH é o hormônio adrenocorticotrófico. Quando há hipersecreção desse hormônio nas ilhotas, têm origem tumores de propagação rápido.

Tumores não funcionais

Os tumores não funcionais dificilmente produzem hormônios. Eles são responsáveis ​​por 35 a 50% dos tumores neuroendócrinos pancreáticos. Eles geralmente são diagnosticados entre as idades de 50 e 60 anos.

Por exemplo, aproximadamente a metade desses tumores estão localizados na cabeça e no pescoço do pâncreas. Entre os tumores não funcionais, o mais frequente é o PPoma. Esses tumores são de propagação lento. São detectados quando atingem grandes dimensões e há metástase. Em geral, os pacientes relatam sintomas como:

Diagnóstico de tumores neuroendócrinos

O diagnóstico de tumores neuroendócrinos pancreáticos requer um exame médico, exames endócrinos, diagnósticos por imagem e exame histopatológico do tumor.

Outras técnicas, como a ultrassonografia endoscópica e a cintilografia do receptor de somatostatina, permitem a observação de metástases para o fígado, linfonodos e ossos. A imunohistoquímica também é usada para determinar o grau de malignidade do tumor.

Leia também:

Descubra Aqui A Melhor Maneira De Perder Peso Rápido Sem Fazer Exercícios Cansativos

Tratamento de tumores neuroendócrinos

O tratamento de tumores neuroendócrinos pancreáticos depende em grande parte da possibilidade de remoção completa. No entanto, há outros fatores a serem considerados ao escolher um tratamento específico, como sua saúde geral.

Às vezes é difícil determinar se o tumor pode ser completamente removido. Por esse motivo, fazer uma laparoscopia antes da cirurgia ajudará a confirmar a probabilidade de ressecção do tumor.

Os tumores neuroendócrinos pancreáticos são mais prováveis ​​de serem ressecados ou completamente removidos do que os tumores exócrinos. No entanto, os últimos são os tipos mais comuns de câncer pancreático.

Tratamento de tumores ressecáveis

Tumor localizado no pâncreas

A maioria dos tumores neuroendócrinos pancreáticos que não se propagaram a partes distantes do corpo são ressecáveis. Inclusive, alguns tumores neuroendócrinos pancreáticos que se propagaram podem ser ressecáveis caso não tenham se espalhado demais.

A operação a ser realizada dependerá do tipo de tumor, tamanho e localização no pâncreas. A cirurgia pode ser simples para remover apenas o tumor, ou complexa, como a cirurgia de Whipple (pancreatoduodenectomia).

Os gânglios linfáticos também são frequentemente excisados. No entanto, após a cirurgia, é importante monitorar sua recuperação. Esteja atento a quaisquer sinais de que o câncer voltou ou se espalhou.

Tratamento de tumores neuroendócrinos não ressecáveis

Em primeiro lugar, você deve saber que esses tumores não podem ser completamente removidos por cirurgia. Geralmente são tumores de propagação lenta. Além disso, em alguns casos, seu desenvolvimento é controlado e medicamentos são prescritos para retardar sua disseminação.

Atualmente, em pacientes com tumores inoperáveis, a quimioterapia é considerada o primeiro método de tratamento. Por outro lado, quando os tumores se espalham para além do pâncreas, os pacientes apresentam sintomas como diarreia e problemas hormonais.

Finalmente, o prognóstico para tumores neuroendócrinos é variável. Por exemplo, o menos favorável é aquele associado a tumores mais graves e à presença de metástases hepáticas e linfonodais. Por outro lado, a taxa de sobrevida de 5 anos para tumores funcionais ressecáveis ​​é superior a 97%. No entanto, para tumores não funcionais é de 30%.

 

%d blogueiros gostam disto: